sábado, 19 de junho de 2010

A língua portuguesa escrita e os maus aprendizados

Hoje em dia, com a grande difusão de textos através de vários tipos de mídia, torna-se cada vez mais fácil ter acesso e/ou publicar qualquer tipo de texto. A internet tem sido uma ferramenta maravilhosa para promover uma infinidade de produções escritas de qualquer gênero. Com toda essa facilidade, começam a circular textos sem haver muita preocupação com a estética, com a ortografia ou com as regras gramaticais.

Ao ler um texto ortográfica e gramaticalmente incorreto, acaba-se aprendendo a escrever de uma maneira equivocada. A maioria das experiências de aprendizagem se dão de maneira inconsciente, pelo menos esse é o meu ponto de vista. Abstrai-se vários conhecimentos em situações onde menos se espera que isso aconteça. Por exemplo (levando para o lado do aprendizado linguístico), quando uma pessoa lê uma palavra, esta será gravada em sua mente da forma como esta pessoa a leu. Quando esta mesma pessoa ler a mesma palavra, mas com a grafia diferente, ela saberá que há algo errado com a palavra. Talvez a pessoa nem saiba onde se encontra o erro, mas sabe que ele existe. Assim se dá o aprendizado de qualquer língua, lógico que não exclusivamente dessa forma.

Uma saída para este problema de aprendizados equivocados em relação ao idioma é que se leia mais, porém não de qualquer fonte, mas textos de autores consagrados, de preferência textos jornalísticos, literários etc. O português, pelo menos aqui no Brasil, tem sido vítima do mau uso, e essa tendência em escrever sem levar em conta as regras gramaticais tem feito com que se escreva cada vez pior. Não estou dizendo que não se deva ler textos da internet ou de outras fontes que não sejam as que eu exemplifiquei. Na internet circulam excelentes textos, embora nem sempre estejam corretos sob o ponto de vista da gramática. Mas é preciso saber identificar esses erros para não passarmos a internalizar regras incorretas. Outra boa dica é ter sempre uma gramática e/ou dicionário por perto, pois, quando surgir uma dúvida, você terá uma fonte confiável para recorrer.

Senti uma grande necessidade em redigir este texto, pois tenho visto muitas produções escritas de alto valor intelectual, mas, infelizmente, com graves erros ortográficos e gramaticais. Precisamos dar mais valor à nossa língua. A minha opinião é que, se falamos apenas uma língua em nosso país, ao contrário de vários países onde se falam duas, três, quatro línguas oficiais ou mais, temos a obrigação de escrever bem o nosso único idioma oficial. A regra para a língua falada é mais flexível, mas a escrita deve ser feita corretamente, ou seja, dentro das normas.

E você? O que acha? Vamos compartilhar opiniões!

Até mais!

4 comentários:

Leonardo Xavier disse...

No meu blog mesmo, eu creio que muitas vezes devem passar batidos erros de ortografia e talvez de concordância. Por basicamente 2 motivos: por eu não ter uma formação voltada para essa parte de comunicação e também pela falta de tempo para revisar os textos com mais calma.

Eu espero que aperfeiçoando um detalhe aqui e acolá, os textos se tornem melhores com o tempo.

Rodrigo disse...

Concordo com você.
A leitura de textos, escritos de maneira errada, treina o leitor também de forma errada. Textos de msn por exemplo são um bom exemplo do péssimo hábito da escrita errada.
Nos acostumamos com as abreviações e treinamos esse tipo de comunicação, mas também, a escrita errada.
Muito bem lembrado esse assunto!!!

Rachel Chagas disse...

Lu... eu tava lendo esse texto seu - ótimo por sinal, adoro o "ORTOGRAFANDO" e, sempre que posso, dou uma lida nas dicas aqui - e, me lembrei de um episódio ocorrido no trabalho.

Eu sempre respondo muito e-mails que os clientes - de todas as classes, raça, credo... - mandam diariamente, daí, outro dia, num desses e-mails eu li a palavra "pesso", eu te JURO, me bateu até certa dúvida!! Pode ficar pasma, até eu fiquei comigo mesma.

Pensei, "não é possível, minha gente", mas, infelizmente, vejo erros deste tipo, quase sempre nos e-mails que me mandam.

No entanto, até eu que leio e escrevo sempre, tenho dúvidas bobíssimas, como outro dia em que me deu um branco e eu fiquei na dúvida se era "através" ou, "atravéz", vê se pode um negócio desses? Até meu chefe ficou abobalhando "esperava que qualquer pessoa me fizesse essa pergunta, Rachel, mas logo você?"

Mas, é fato, acontece com qualquer um, daí, ou a gente lê mais ou, andar com um dicionário sempre em punho!

Um beijão, e desculpa o texto que acabei de escrever... uahuahuahauha

Anônimo disse...

Olha, eu amo ler. Infelizmente não tenho acesso fácil a livros. Gostaria de ser uma escritora; porém as circunstâncias não me levaram a isso.
Só quero lhe parabenizar, seus posts me ajudaram muito e de fato, tenho tido cada vez mais dificuldades em relembrar a grafia certa devido aos vícios gramaticais da net. Abraço!